PEDRO DUARTE ODDZ PART

Pedro Duarte Soltou mais uma parte só que desta vez para Oddz Skateboards. Confiram!

Filmagem e edição:  Octavio Scholz

Anúncios

Como transformar sua paixão em profissão

Quem nunca sonhou em ser um skatista profissional, viajar pelo mundo participando de campeonatos, ter sua própria linha de shapes de skate e equipamentos? Ser um profissional do skate é sem dúvidas uma dádiva na vida de um esportista.

Não existe fórmula pronta

No entanto, fica a pergunta: Como transformar sua paixão em profissão? Essa é uma pergunta sem resposta direta ou conclusiva, afinal, não existe uma fórmula para se tornar um skatista profissional, não é como fazer uma faculdade e buscar uma vaga no mercado de trabalho, mas existem alguns caminhos a serem percorridos que podem formar sua jornada até lá.

Praticar e buscar evolução

A primeira e talvez a mais valiosa dica para se tornar um profissional é não romantizar o esporte, para alcançar seu objetivo será necessário muito esforço, tempo, dedicação, investimento e sacrifícios, muitos shapes de skate serão quebrados até chegar lá.

Desenvolvimento pessoal

O atleta também deve ser referência como cidadão com caráter e índole adequada a posição que ele ocupará, por isso, estar envolvido com projetos sociais e ONGs que dão fomento ao esporte é essencial, tanto para o lado profissional, quanto para desenvolver o humanitário e desenvolvimento pessoal.

Participar de eventos e campeonatos

Além disso, é preciso participar de eventos, estar em evidência, fazer contatos e não ter medo de errar. Não é nada fácil alcançar um lugar ao sol, especialmente no Brasil, a segunda maior potência do skate no mundo atrás apenas dos EUA, o país do skate. Para se ter uma ideia, nos jogos olímpicos de Tóquio, somente as delegações dos EUA e Brasil contarão com a presença de 12 atletas cada em um total de 70 competidores do mundo.

Brasil e EUA foram prestigiados com o maior número de atletas por um único motivo: manter a competição no mais alto nível. Ou seja, nossos atletas são a elite do esporte. Uma pesquisa realizada em 2016 pelo Instituto Datafolha encomendada pela CBSk revela que o skateboarding é o segundo esporte mais praticado no país com 8,5 milhões, naturalmente, a disputa por uma vaga é grande, porém, não desanime, existe um enorme potencial nos skatistas brasileiros e uma vez contratado, é bem provável que esteja na elite do esporte.

Um skatista profissional contratado tem carteira de trabalho assinada, salário, paga previdência, impostos, tem direito a férias e décimo terceiro como qualquer trabalhador comum, a única diferença é que todos eles fazem o que amam.

Qual é o caminho que um skatista deve seguir para se profissionalizar?

Se por um lado não há uma receita pronta, existem alguns caminhos obrigatórios para que seu shape de skate se torne sua ferramenta de trabalho. Para quem pretende seguir carreira no esporte, apesar de óbvio, vale comentar, praticar todos os dias é o princípio básico, a evolução é constante, quem acha que já domina tudo em cima de um shape de skate, provavelmente não terá sucesso como profissional.

A Confederação Brasileira de Skateboard (CBSk) pode ser um começo. A seleção dos profissionais é feita pelos técnicos dos comitês da CBSk, as categorias e seus representantes são:

Bowl:

Allan Mesquita (RJ), Léo Kakinho (SC), Otávio Neto (SP), Pedro Barros (SC) e Vitor Simão (PR)

Downhill Slide:

André Magriça (SP), Kauê Mesaque (SP), Jefferson Dú (SP), Paulo Coruja (SP) e Sérgio Yuppie (SC)

Downhill Speed:

Alexandre Maia (SC), Alysson Solé (PR), Felipe Cobra (RJ), Rodrigo Rato (RS) e William Ortiz (SP)

Freestyle:

Alexandre Brownzinho (SP), César Cabeleira (RJ), Márcio Ferreira (RJ), Paulo Folha (SP) e Tai Tai (RJ)

Slalom:

Alex Ferro (SP), Fábio Dery (SP), Fernando Camargo (SP), Rogério Antigo (SP) e Rogério Sammy (SP)

Street:

Danilo do Rosário (PR), Diego Oliveira (SP), Lucas Xaparral (SP) e Márcio Tarobinha (SP)

Vertical:

Edgard Vovô (SP), Geninho Amaral (SP) e Lécio Neguinho (SP).

Para a seleção dos futuros profissionais são levados em consideração nível técnico do atleta, aparições em mídias especializadas, menções e/ou entrevistas em revistas, fotos e vídeos, popularidade nacional, participação e colocação em campeonatos.

Uma vez aprovado, os atletas poderão participar de campeonatos no Brasil e no mundo nas categorias profissionais, além de estarem habilitados para criarem suas linhas de produtos.

Buscar patrocínios

Outro fator importante é verificar se há patrocinadores dispostos a arcar com os custos de equipamentos, viagens e campeonatos. Normalmente as inscrições para uma vaga são feitas em novembro, período o qual as empresas do ramo organizam o orçamento para investirem no time de atletas que representarão a marca.

É uma longa estrada a ser percorrida com muito sangue, suor e ossos quebrados para conseguir transformar a paixão em profissão. É preciso acreditar em si, ter foco, disciplina, investir em equipamentos de qualidade e em viagens para disputar campeonatos, comportar-se e agir como profissional, etc.

A realidade de hoje é muito diferente dos monstros dos shapes de skate quando começaram e os obstáculos são diferentes. Não era nada fácil gravar uma session nos anos 90, hoje o acesso a equipamentos é mais fácil e as mídias sociais e canais de vídeos para divulgações estão disponíveis.

Se por um lado a tecnologia facilita nesse processo, pode também dificultar pela demanda. Mas não desanime! Antigamente, o atleta tinha que fazer seu próprio corre atrás de patrocínio, divulgação e etc. Hoje, com a CBSk, existem profissionais preparados para ajudar os atletas a fazerem o corre, assim como existem muito mais lojas e empresas que acreditam no potencial dos skatistas.

Em 2015, dos 56 pedidos de profissionalização no skate, 28 foram aprovados, em 2017, 30 novos skatistas se tornaram profissionais. Quer ser um profissional no skate? Então vai para cima com foco, disciplina e atitude profissional, está em suas mãos, ou melhor, em seus pés.

 

RAIO com Edgard Vovô e Hugo Montezuma na Tent Vert House

Este quadro mostra quão longe estamos do QG da Oddz seja num secret spot ou em uma pista. Neste caso estávamos a 17,43km da Tent Vert House. Confira como foi a sessão!

Screen Shot 2017-11-29 at 18.46.59.png
Edgard Vovo: https://www.instagram.com/edgardvovo/

Hugo Montezuma : https://www.instagram.com/hugo_montez…

Tent Vert House: https://www.instagram.com/verthouse/

Produtos Oddz: http://www.oddzskateshop.com